quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

A vida começa aos quarenta?

Sempre ouvi por aí que a vida começa aos quarenta. Achava um exagero, desculpa de quem quer dourar a pílula. Mas um dia parei pra pensar em minha vida após os quarenta.
Após os quarenta cursei a faculdade que queria e precisava cursar e ainda ingressei em um curso de extensão em Teologia. Após os quarenta descobri a graça de ser avó de duas joias, Milla e Mateus, que enchem a minha vida de amor cada vez que sorriem para mim. Descobri que podia ir e vir sem precisar pedir licença a ninguém, criei asas e saí voando por aí. Ultrapassei fronteiras. Primeiro dos meus sonhos, depois da minha cidade, do meu Estado e até do meu País.  Conheci as pessoas mais interessantes que podia conhecer e algumas delas permanecerão em minha vida até o fim, sem dúvida. Redescobri o amor de forma plena e permanente. Apaixonei-me outra vez  por Jesus!
Gente, não há dúvida! A vida realmente começa aos quarenta. Não que não haja vida antes, mas é ali, a partir dos quarenta, que começamos a perceber o que realmente importa viver. É a partir da maturidade que só a idade nos permite, que olhamos o mundo sem os filtros da ilusão e conseguimos ver a verdadeira beleza que há em todas as coisas. E a feiura que há em outras. É ali que vivemos uma fé madura, despida de alegorias e fantasia de criança.
Agradeço muito a Deus que me permitiu chegar e ultrapassar os quarenta anos. Não trocaria a idade que tenho, definitivamente. Só tenho a agradecer. Aos amigos que fiz, aos amores que vivi e de novo ao meu Deus pela fé que me sustenta.
Claro que tem o lado negativo. As rugas, as dores nas articulações, as falhas de memória... Ah! Mas quem liga pra isso? Rugas são a marca do tempo em nós, como mapas que nos dá acesso ao que somos e nos levam a tudo que vivemos. E quando incomodam demais sempre há um dermatologista de plantão. As dores a gente dribla com anti-inflamatório e exercícios, e quanto às falhas de memória... Quem disse que quero lembrar de tudo?
Nesse Janeiro faço mais que quarenta. Faço cinquenta anos! (Uau!) rs E só quero dizer que está valendo a pena. Se a vida começa aos quarenta, ela deve chegar ao ápice aos cinquenta.
Que venham as alegrias, as tristezas, as batalhas, as lutas, tudo!  Que venha a certeza de que estou vivendo plenamente tudo o que Deus me deu. Porque quando a cortina se fechar, quero poder dizer que fui feliz. Porque acreditei que ser feliz era viável, mesmo quando parecia impossível.

Que venham mais cinquenta. Ou dez, ou cinco. Não importa. Eu quero é VIDA!

Um comentário:

  1. Blog indicado ao Prêmio Dardos. http://semeandoecantando.blogspot.com.br/2016/03/p-remiodardos-o-premio-dardos-uma.html

    ResponderExcluir